<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script> <!-- mmusicradiorock_sidebar_AdSense1_1x1_as --> <ins class="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-5732212802343663" data-ad-slot="8592965930" data-ad-format="auto"></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<!-- mmusicradiorock_sidebar_AdSense1_1x1_as -->
<ins class="adsbygoogle"
style="display:block"
data-ad-client="ca-pub-5732212802343663"
data-ad-slot="8592965930"
data-ad-format="auto"></ins>
<script>
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>

sexta-feira, 3 de março de 2017

O Rock não morreu! Foi assassinado

Gene Simmons: O rock não morreu de velhice, foi assassinado





O baixista/vocalista do KISS, Gene Simmons, deu uma entrevista para seu filho, Nick, no Esquire.com, onde ele foi perguntando o que ele diria para músicos e compositores que querem hoje ter sucesso no atual estado da indústria musical nos últimos anos.

Diário do Pierrot: o livro "Paul Stanley - Uma Vida Sem Máscaras"Huntress: foto pelada após um caso brutal de infecção alimentar“'Não largue seu emprego’ é um bom conselho”, começou Gene. “Quando eu estava chegando, era como se fosse uma montanha intransponível. Uma vez que você tinha uma companhia em seu lado, eles iam lhe financiar, e isso também significava apoio em suas turnês. Havia uma indústria para ajudar os próximos BEATLES, os próximos STONES, Prince, Hendrix, em cada passo do caminho. Ainda existem companhia de discos e isso se aplica ao rap, pop, country. Mas para músicos que também são compositores – os criadores – para o rock, para o soul, para o blues – está finalmente morto.”

“O Rock está finalmente morto”.

“Estou tão triste que o próximo garoto de 15 anos em uma garagem que quer ligar eu Marshall e colocar no último volume, não vai ter as mesmas oportunidades que eu tive. Ele vai, provavelmente, não importa o que faça, falhar miseravelmente.

Não há mais indústria para isso. E quem é o culpado? Sempre há mudanças de interesses – o gosto musical muda com cada geração. Culpar isso seria bobagem. Sempre há aquela parte excitante depois disso: ‘O que vem agora? Mas tem algo mais.

A morte do rock não é natural, o rock não morreu de velhice. Ele foi assassinado. E o real culpado é o garoto de 15 anos na vizinhança, provavelmente um amigo dele. Talvez um dos companheiros de banda com quem ele está tocando. A tragédia é que eles parecem não ter ideia de que estão matando sua própria oportunidade – eles mataram os artistas que teriam amado. A genialidade em algum lugar, ela iria ser expressada, e agora não vai mais, porque é bem mais difícil ganhar a vida tocando e compondo músicas. Ninguém vai lhe pagar para fazer isso.”

“As massas não reconhecem o compartilhamento de arquivos e o download como roubo, porque ficou uma cópia no lugar – não é essa cópia que é um problema. É a outra que alguém recebeu e não pagou. O problema é que ninguém vai lhe pagar pelas mais de 10.000 horas que você gastou para criar o que criou. Eu posso somente imaginar a frustração de todo esse trabalho, e não ter ninguém para dar valor suficiente e pagar você”

“É bem triste para as novas bandas. Meu coração está com eles. Eles não têm chance. Se você toca guitarra, é quase impossível. É melhor você nem aprender mais a tocar guitarra ou compor as músicas, e só cantar no chuveiro enquanto faz testes para o ‘X Factor’.
Não estou falando mal do ‘X Factor’ ou dos cantores pop, mas o próximo Bob Dylan está lá? Os próximos BEATLES? Onde estão os compositores? Onde estão os criadores? Muitos deles agora têm que trabalhar nos bastidores, promovendo as bandas de pop e escrevendo coisas para eles.”

Gene Simmons está certo? Ainda é possível viver de música? Alguém ainda leva o baixista do KISS a sério?

Nenhum comentário:

Postar um comentário