<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script> <!-- mmusicradiorock_sidebar_AdSense1_1x1_as --> <ins class="adsbygoogle" style="display:block" data-ad-client="ca-pub-5732212802343663" data-ad-slot="8592965930" data-ad-format="auto"></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<!-- mmusicradiorock_sidebar_AdSense1_1x1_as -->
<ins class="adsbygoogle"
style="display:block"
data-ad-client="ca-pub-5732212802343663"
data-ad-slot="8592965930"
data-ad-format="auto"></ins>
<script>
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Trecho da biografia de Nick Menza relembra demissão do Megadeth dois dias após cirurgia

Trecho da biografia de Nick Menza relembra demissão do Megadeth dois dias após cirurgia

Sai ainda este ano a biografia Megalife: Nick Menza – The Book. Escrito por J. Marshall Craig, o livro foi finalizado após a morte do baterista, ocorrido ano passado ao sofrer uma parada cardíaca durante show do projeto :OHM. Em um trecho liberado à imprensa, Nick relembra sua demissão do Megadeth. Tudo ocorreu logo após a cirurgia em que retirou um tumor do joelho.

Nick Menza ainda estava grogue da anestesia, mas ficou entusiasmado quando os médicos lhe disseram que a protuberância assustadora em seu joelho era benigna e, em breve, ele voltaria ao trabalho como o feroz baterista do uma das maiores bandas do Thrash Metal do mundo, o Megadeth.

“Fiquei tão aliviado”, ele diz, “Achei que não tinha mais nada que me preocupasse no mundo”.

Foi quando, dois dias mais tarde, Dave Mustaine, líder da banda, telefonou. Nick esperava grandes notícias sobre o retorno ao Ozzfest em 1998.
Ao invés disso, Mustaine falou: “Estamos deixando você ir”.

Nick achou que era uma piada. “Para onde? Disney? Pare de brincar, Dave, não é o momento”.

Mustaine não estava brincando. “Acho que você não está me ouvindo claramente”.

Uma década e meia mais tarde, Nick se inclina para trás na cadeira em frente à mesa de seu estúdio em Los Angeles e reflete. “Foi assim”, diz encolhendo os ombros. “Minha passagem por uma das maiores bandas de Heavy Metal, no auge de sua carreira, havia acabado. Foi uma colisão horrível. Muito ruim”.

Apenas alguns cabelos grisalhos entregavam a passagem do tempo. Nick estava em forma como nunca – não apenas por tocar bateria, mas por seu obsessivo hábito de praticar mountain bike. “Admito que afundei em um lugar muito obscuro. Sobrevivi e cheguei ao outro lado, com propósito e espiritualidade, quero tocar mais do que nunca. Me apaixonei pela música novamente”.

“Fãs me perguntam o tempo todo se gostaria de ainda estar no Megadeth. Levou um longo tempo para descobrir a resposta, que é…”. (Fim do trecho liberado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário